quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Panda Maria do Kung Fu 1- 0 PPPNIQNEI

                                                       


Agora que os medos acalmaram, já é possível fazer piada. Tive a capacidade de herdar o bom humor do meu pai e avô. Tive a capacidade de herdar um lado desenrascado da minha avó. Tive a capacidade de herdar um lado de maluquice que ainda não percebi de quem.... pois qualquer pessoa normal que conheço teria chamado a polícia no 999 do Reino Unido. Mas eu como herdei esta maluquice de alguém... Não chamei. Tranquei-me uma noite inteira no meu wc provida de uma faca (a melhor que tenho, diria mais afiada!), do meu Mac, iphone, do passaporte, do BI, da carta de condução e dos cartões bancários! Ah! Uma almofada e uma mantinha.

Até aqui, já devem estar confusos com tanta parafernália ao jeito de sozinho em casa de Macaulay Culkin. Mas não, nada de confusões! Senti-me mais a Versão feminina do Panda do Kung Fu pronta a atacar o dito PPPNIQNEI!!

Pessoa Potencialmente Perigosa Não Identificada Que Não Entende Inglês.

Sábado passado, cheguei a casa por volta das 18h depois de mais um dia intenso na clínica. Entrei em casa e atravessei a escadaria da senhoria para me dirigir ao meu estúdio no último andar. A casa tem três andares e estava a ser toda pintada no seu interior. Mas não vi sinais de nenhum pintor nem do dono da empresa. A senhoria estava fora de férias e eles já andavam nisto há uma semana.
O combinado com a senhoria (que se ausentou na quinta à tarde) era que um senhor da sua confiança viria buscar o fofuxo do Kubush ( o cão - Parson Russell Terrier).
Tomei banho, jantei e pelas 22h venho para baixo para fechar todas as janelas da casa como sempre faço se a querida madame de Chelsea está de férias.
E pronto, saio da sala no escuro e pimba, o PPPNIQNEI APARECE!
Não fiz xixi pelas pernas, não colapsei mas senti que a minha vida estava a  poucos segundos de alguma coisa que não me parecia nada certo. Acho que utilizei as primeiras bad words desde já 6 anos. WHAT THE H*** ARE YOU DOING IN THIS HOUSE?
Claramente bêbado e fora de si começa por me oferecer bebidas, aproximar-se tipo pavão com uma prenuncia difícil de entender.
Por momentos pensei.. Ahhh o senhor que vem buscar o cão! Mas a Magda é uma Lady, esta criatura não se aparenta de seu conhecimento social!
YOU HAVE 2 MINUTES TO LEAVE THIS HOUSE, UNDERSTAND??
O PPPNIQNEI insiste a dizer que vai ficar. Corro para o terceiro andar e fecho-me no quarto. Apercebi-me que não tranca! Não tenho chave! E porque teria?? Não preciso nada disso com a Magda O PPPNIQNEI insiste a tentar abrir com uma voz de entoação estranha ao qual me gela por dentro. 
Começou a não ter piada mesmo!
Graças a filmes hollywoodescos, coloquei uma cadeira a segurar a Porta por trás! Uff, obrigada MacGyver!
Comecei a ligar à Magda mas não me lembrava para que país tinha ido, nem sabia o fuso horário! 
Porque não liguei à polícia? Pois é! "É uma excelente pergunta para queijinho".
O medo atrofiou-me os neurónios, a casa não é minha, não sabia se a Magda tinha permitido estar ali, não sabia se seria amigo do filho, sei lá!!
Sentada no chão da casa de banho com a faca do lado e lavada em lágrimas e soluços, esperei ansiosa durante horas pelo telefonema da Magda. E fui conversando via viber com a minha M. que na altura me mandou umas mensagens! O PPPNIQNEI andou durante horas para cima e para baixo, batia na porta, via-lhe os passos, ouvia coisas a partir lá embaixo, cantava e falava sozinho. Bêbado que sabe Deus! 
Às 6h fez-se silêncio. Coloquei tudo o que tinha num saco e com a faca na mão lá desci três andares a correr e saí para a rua!
Às 8h a Magda Lá me ligou em pânico com todas as minhas mensagens de voz  e confirmou aflita que não conhecia ninguém assim é que eu deveria chamar a polícia enquanto ela telefonava para o dono da empresa.
Tudo se resolveu às 8.30h. Escusado será dizer como! 
Na cozinha da senhoria encontrei álcool, droga, copos partidos etc.
Uma empresa de limpeza veio no dia seguinte e tudo se recompôs. Menos o meu à vontade e um tipo de mania da perseguição a cada regresso a casa ou enquanto na casa!
Já passaram 12 dias e estava a precisar de fazer piada disto! 

Conclusão: A senhoria chegou hoje e adorou as férias. Turquia by the way. O PPPNIQNEI foi despedido. O senhor do cão veio entregar o Kubush e finalmente o conheci ( um gentlemen como imaginei). A maluca aqui é que ficou a bater pior desta cabeça! Precisava imenso disto! 

Moral do episódio: se tem obras em casa, não diga que vai de férias! (O dono da empresa tinha contratado este PPPNIQNEI há apenas 1 semana!)

domingo, 6 de setembro de 2015

É já amanhã: 7 de Setembro de 2015


Existem algumas datas ao longo do ano que nunca esqueço e que me trazem a família ao redor. Por razões mais tristes e outras bem alegres! Aniversários, Natal, Dias de Falecimentos e partidas que nos marcaram, Páscoa, Festas por que sim, Inaugurações, Batizados, Casamentos, Momentos porque a vida é para se celebrar.
Mas o dia 7 de Setembro, é, provavelmente, a segunda data do ano que me fascina. Fascina pelo tradicional, pelo convívio, pelo cheiro do povo, pelos sorrisos do chegar, pela gratidão de mais um festejo, pela conquista de se estar vivo e presente naquele dia, pelos emigrantes, pelos reencontros, pelos que já partiram e são lembrados, pelos que nasceram e nos alegram por possivelmente continuarem esta tradição.
O dia 7 de Setembro. Dia do Senhor Jesus. Dia do meu Seixal. Do meu cantinho com vista para o mar. Da minha aldeia que me criou e largou no Mundo. 
Existem anos que por motivos de força maior, sejam elas quais sejam, a nossa presença só lá pode estar em espírito, em pensamento, mas com todo o amor por aquela gente. Dos mais ricos aos mais pobres. Dos mais alegres aos mais tristes. Dos mais velhos aos mais novos. Dos mais doentes aos mais saudáveis. Dos que cultivam mais arrelias aos que espalham o amor só porque sim. Estamos lá todos com um mesmo objectivo: manter a tradição de uma romaria familiar cheia de foguetes, procissões, voltas, comidinha e abraços. E, de joelhos, em frente ao Senhor Jesus agradecemos o ano que passou e pedimos novamente a benção e a protecção de outro que começa. Que assim seja para todos mais uma vez.