domingo, 21 de junho de 2015

Família Inglesa

E por aqui, só se consegue continuar com boas pessoas do lado.


Um kinder bueno "porque és boa pessoa"


Um kinder Surpresa porque " a vida vai-te encher de surpresas e há que agarrar e seguir".


Um kit porque com o "dinheirinho extra do novo emprego podes ir passar 48h mais vezes a casa"


OBRIGADA GI&VI pelas palavras!


Obrigada V.!

Irei seguir com fé que tudo na vida tem uma razão. A minha angústia é que às vezes me deixa nublada.

Percursos de uma Enfermeira Chefe, Senhor Primeiro Ministro

Eu deveria criar uma Etiqueta para #cartas de Passos porque de facto Sr Primeiro Ministro escrevo-lhe tanto, de tempos em tempos. Mas olhe que ainda não aceitei o acordo ortográfico. Portanto, não se desiluda com isso também.
Esta semana, recebi a notícia de que a minha entrevista para Enfermeira Chefe foi "outstanding Maria!" e, o lugar foi me dado a mim. Enfermeira Chefe. Sister, em terras de Sua Majestade. Uniforme azul escuro. Vestido, prefiro vestidos.
Agora, o que o Sr Primeiro Ministro não sabe é que demorei 2 dias para ganhar coragem para dizer à minha família e alguns amigos. Coragem... precisei de coragem. Pode isto? 
Estou há 2 anos, mês após mês, visita a Portugal após visita, à procura de emprego na minha área - Enfermagem em Fertilidade. 
Tomei a decisão de partir para Londres - eu NÃO EMIGREI - (muito antes da sua sugestão, que o Senhor se recusa a assumir mas que eu me lembro das suas palavras nesse mesmo dia!) em 2009. Comecei pela cirurgia plástica. Depois mudei de Hospital e segui Ginecologia. Fiz pós graduação (o intuito da vinda!) e ali continuei até ser Senior. Mudei novamente há dois anos e meio para uma das clínica de Fertilidade com mais prestígio no reino Unido. Em 2012 quando comecei, comecei novamente do zero, como uma enfermeira júnior. Quis fazer de tudo para me especializar porque pensei que assim seria mais fácil regressar para Portugal. A especialidade em Fertilidade seria uma boa promessa para o meu país. Desde então... Júnior, depois Acting Senior, depois Senior e agora... agora Sister
Que mais Sr Ministro? 
Sabe que a última resposta que recebi de uma das clínicas de Portugal foi de que tinha muito no meu CV. 
E agora? Acha que deva acrescentar mais esta?
Coragem.
Coragem foi o que precisei para informar a minha família. Família que está cansada de me ver chorar. O meu pai nem sabia o que dizer quando eu só chorava a dizer que era enfermeira chefe. Ninguém chora com uma notícia destas. 
Coragem é o que vou precisar para seguir.
O Senhor viu a família hoje? Jantou bem? O seu motorista foi buscá-lo?  Que bom.
Olhe, eu acordei e estive a comprar o bilhete dos transportes durante os 4 dias que vou estar em casa para o aniversário do meu pai. Este ano consigo ir! Jantei aqui sozinha no meu quarto. Sim, partilho casa porque neste país não ganho o suficiente para ter casa própria. Carro? Também não. Mas cá fora é que se está bem, não foi o que disse? 
Eu agora respondo-lhe: estamos bem porque somos reconhecidos profissionalmente por todo o nosso trabalho, dedicação, rigor e profissionalismo. Mas não somos reconhecidos emocionalmente. Porque para esse reconhecimento é preciso termos do nosso lado quem mais amamos.

sexta-feira, 19 de junho de 2015

vaqueiro, planta ou mimosa?





Não querendo fazer publicidade mas já mencionando, serei melhor em vaqueiro, planta ou mimosa? Com alho ou coentros?
Talvez com salsa e limão?
Em chocolate ou ovos batidos?
Por cima de peixe grelhado ou em leite condensado?
Numa carcaça pela manhã ou em torradas de pão passado?

Devo ir bem em qualquer coisa.
Já aqui estive, antes. Mas mais uma vez aqui voltei. Banho-maria. Quente e fria.

E, quando me apercebo que aqui cheguei, dói.
Dói porque o permiti e dói porque não evitei.
Dói porque não sei como chego e muito menos como me liberto disso.

Cozinhada em banho-maria.

Mais uma vez:

- Não gostaram de mim.
- Tiveram muita pena de não gostar de mim.
- Adoram a minha companhia.
- Querem a minha companhia mas não querem a minha pessoa.
- Não dá.
- Cozinhar em banho maria não vale.
- Não quiseram fazer um pacto comigo.
- A vida vai ter de seguir. Tem?